EU TENHO SAÍDA???

A coisa chata de se ter um blog é a documentação da repetitividade. pelo menos no caso do meu blog, diário de atividades mentais. É isso, não é? todos temos nossos movimentos…
Experimento uma solidão doída, que da vontade de chorar.
Choro com o telefone na mão: ou ligo para a (ex) analista, peço arrego e volto, ou ligo para Puro-Osso, peço arrego e volto. Mas explico: não preciso mais de ajuda para ver meus movimentos, preciso mais é romper com eles, com ou sem supervisão. Não sei o que poderia fazer ao lado de Puro-Osso. esperar por mais uma decepção? Tentar viver um romance com ele seria a maior pala de insanidade. E é só estar vivendo vida frenética de noitadas e muita birita para eu pensar nele como meu salvador que me mantém dentro de casa.
Eu já vivi tudo isso. tenho vivido tudo isso há algum tempo, e me sinto farta. Uma vitória enorme será ver o tempo passar e não receber o magrinho de volta. Essa semana completamos dois meses separados. Ainda é pouco, ano passado foram três meses, se não me engano. como uma alcoólatra, penso em um dia de cada vez.
Trabalhei demais no sábado passado, foi bom, mas não dei de mim a perfeição, o que me chateou deveras. Nessas horas sinto pena de mim, pois me exijo uma perfeição inatingível, como se fosse condição para que gostem de mim.
Este é uma fato importante nas minhas conversas com os meus botões; a perfeição. Ser perfeita para ser amada. Como eu poderia ser convidada a trabalhar novamente sem praticar a melhor cozinha do mundo? Como ter um romance legal sem ter o corpo lindo de adolescente??
Enquanto percebo que estou pirando, levo Tchela para um chopp, e conto tudo ali, olhos nos olhos. O pior é que ela me diz que não, não estou pirando. Louca eu era antes, pois não exergava essas coisas.
E agora estou aqui, alugando vocês.
Já que tudo anda mesmo em ciclos, essa conjunção astral acaba de uma hora pra outra e eu volto a seguir meu caminho mais confiante. A serenidade, hoje escondida, estará em breve estampada em minha testa.
É preciso mais teimosia e mais coragem. Coragem para passar mais noites chorando na cama até pegar no sono, ao invés de ir viver as mesmas aventuras de sempre. nada contra elas, se não fossem fugas.

Anúncios

PITBULL FÊMEA.

Talvez fosse melhor nem escrever hoje, tamanho o mau-humor. Frio, plantão, gente barulhenta, doentes, céu cinzento. Mas vou registrar aqui, afinal, nem só de alegrias se vive…

Engraçado  é que quando eu to assim azeda, eu fico com vontade de estar sozinha, em silêncio. Mas acontece que hoje é meu plantão, e silêncio, somente na hora de ir pra casa.

Solidão?

Vai demorar ainda mais um pouco.

E essa mania de “puxar o chiclete” das coisas ruins para que durem mais? Essa mania ainda não perdi, mas tá na mira!! KKKKK

Já to rindo… Li em algum lugar que o ser humano larga milhões de coisas, menos o sofrimento. A gente poderia até dizer que ele nos impulsiona a pensar e agir, mas a gente sabe muito bem que existem sofrimentos curtidos por opção.

Eu tava aqui na minha, quieta, jogando o jogo da florzinha e pensando… que barulho! Ô gente chata e faladeira! Ai meu Deus!! Sem grana! A mãe doente… E fui arranjando milhares de motivos para ficar cada vez mais aborrecida, saindo do momento presente e desencavando miles de motivos para enrugar o cenho. Motivos de hoje, de ontem, da semana passada, do natal de 1982. Olha que bobeira!!!

Eu tento descomplicar a minha vida, meus sentimentos, minhas relações.  E pensar no passado e no futuro são duas formas de complicar. Porque a vida é agora que acontece. E quem tem a garantia de estar vivo até a próxima manhã?

Mas e aquelas pessoas das minhas relações que não querem descomplicar, nem pensar, nem se colocar no lugar do outro? Aquelas, que curtem pensar no que foi e no que será, mas nunca pensam no que é.

Para essas eu digo: “azar o de vocês”!!

Eu não bato palma pra maluco dançar.  Só se a maluca dançando for eu mesma.

O que eu quero dizer é que a gente não deve alimentar a neurose alheia.

Eu fico danada com a história da pensão das minhas filhas. Mas gritar, xingar e processar não adianta. Então, o que eu devo fazer é ganhar mais, para fazer do meu jeito o que acho que precisa ser f eito.

Não adianta, temos amigos, familiares, mas somos sozinhos, todos nós.

Tem sempre um troço que é extremamente particular, que precisa ser resolvido dentro do coração, ou da cabeça.

Hoje eu to me sentindo muito sozinha.

 É, acontece vez ou outra.

Quando eu era adolescente, queria logo ter um filho, para não me sentir mais tão sozinha. E quando Rafaela nasceu, eu me sentia sozinha com um bebê no colo.  E agora, me sinto sozinha com duas filhas, uma mãe, um cachorro e a certeza de que verei ainda muitos dias cinzentos. Muito mais cinzentos que o de hoje.

Se eu sobriver…rsrsr

Não estou satisteita de movimentar essas energias de revolta dentro de mim hoje, mas fazer o que? Se eu conseguisse movimentar apenas energias de paz o tempo todo, estaria no lugar do Dalai Lama, néam?!!

Bom final de semana, amigos!