AGORA EU SOU SOLTEIRA

E vou pro show do Cordel do Fogo No RaboEncantado. Fundição Progresso, hoje à noite. Quem tem bom gosto vai…
O roteiro cultural detste finde é vasto e passa pelo CCBB, tem coisas boas por lá.
Eu comprei a revista Claudia deste mês. A coluna da Danuza fala sobre rompimentos. E sobre aqueles manés que levam algo seu, quando arrumam a mudança dles. Puro-Osso levou uma coisa minha. Que eu ainda não paguei. Fiquei com tanta raiva, que muito provavelmente não falarei mais com ele. Mas isso não importa.
Me pergunto porque tantas idas e vindas, porque será que eu não me mantenho firme num ponto de vista? Essas relações que vão e voltam são extremamente neuróticas e doentias. E acreditem, eu não não estou nem um pouco afim de atrelar essses adjetivos à minha pessoa. Enfim. Análise não é só na hora da análise, tem que ser o tempo todo, senão não é ajuda, é muleta.
Oh!!Me sinto tão madura às vezes…
Estou de férias no hospital, portanto estou muito feliz. Mas afora isso, sinto uma coisa tão gostosa, tão alegre…Enfim, estou melhor que nuncaaaaaaaaaaaaaaaa!!!
Quer saber mesmo como eu estou? Eu estou “Sacha” de Manuel Bandreira (meu mega-hiper-ídolo) olha só:

SACHA E O POETA

Quando o poeta aparece,
Sacha levanta os olhos claros,
Onde a surpresa é o sol que vai nascer.
O poeta a seguir
diz coisas incríveis,
Desce ao fogo central da Terra,
Sob na ponta mais alta das nuvens,
Faz gurugutu pif paf,
Dança de velho,
Vira Exu,
Sacha sorri como o primeiro aro-íris.
O poeta estende os braços, Sacha vem com ele.
A serenidade voltou de muito longe
Que se passou do outro lado?
Sacha mediunizada
– Ah-pa-papapá-papá-
Transmite em Morse ao poeta
A última mensagem dos Anjos.

Mas quem seria o meu poeta, no caso? A vida, a minha vida. O outono, que eu amo mais que o verão. Sim, é o outono. Definitivamente.
Bom feriado de dia do trabalhador para todos.