AMARELO

Toda a umidade de dezembro faz o céu ficar nublado. sabemos que o sol está lá, por trás de todo aquele branco. Mas os dezembros aqui de Piratininga trazem uma coisa extremamente linda, que é um entardecer amarelo, como se o sol fizesse muita força para me lembrar que ele está lá sim, e as nuvens no céu ficam parecendo de baunilha, porém bem forte, muito mais que em “Vanilla Sky”.

Sinto como se houvesse papel celofane amarelo em frente aos meus olhos.

E algumas bosboletas no estômago também… Passeio de bicicleta ouvindo jazz.  Nina Simone, céus negros, céus amarelos. Vontade de amar!!!

Que saudade de bater meus dedinhos neste teclado, escrever tudo o que vai na alma… Em momentos como esse percebo como me faz falta o hospital com todos os seus estresses: é lá que me concentro no mundo virtual, no meu blog e nos blogs que acompanho. Não ir lá é a mesma coisa que não ter sossego para ler ou escrever.

Falando em sossego, este parece estar de mau comigo. Como a Lu já adivinhou, não parei um só instante nessas benditas férias. Com o tempo chuvoso (basta eu estar de férias, todo ano é assim), eu poderia ter passado a semana inteira na cama, mas não, arranjei um trabalho temporário que me deixou exausta, de mau humor, levantou reflexões importantes acerca do quanto eu preciso me esculhambar por trezentos reais, que, ao chegarem em minhas mãos foram devidamente torrados sem dó nem piedade com lazer.

Eu gosto de trabalhar. Mas percebo que não pode e nem deve ser qualquer trabalho, e que, para valer à pena, tudo precisa ser feito com prazer, carinho, tesão.

Angústias de verão: as minhas filhas embarcam para a Bahia dia 17/12, e dessa vez eu precisarei arrumar as malas. Seis anos passando por isso sem me acostumar. Morro de ciúmes e saudades, e demora um pouco para sentir prazer de estar sem esta responsabilidade, podendo viver despreocupada com a hora do almoço, do banho, dos passeios, da atenção. Mãe em férias!! Mas o sabor desta liberdade é bem amargo. A casa vazia, silenciosa. Dentes caem sem que eu os troque por moedas.

Pensar que qualquer dia desses as malas serão arrumadas por elas mesmas, e os detinos serão outros. Búzios, Cabo Frio, Sana: não importa o destino, mas a constatação de que não serão menininhas para sempre, que muito em breve farão suas viagens pelo mundo afora, e tudo o que poderei fazer é abençoar.

Anúncios

COMO UMA AQUARELA

Piratininga, Niterói, upload feito originalmente por bpwilby.

Uma amizade suavemente colorida.

Um lindo quadro que não forja, pois possui as nuances de um amanhecer que deveria ser branco, mas teima em ter luzes de coloração inimaginável.

MOVIDA À PRAZER.

Eu tinha vinte e quatro horas para descansar entre um plantão e outro, uma família com saudades de mim e uma festa para ir. Tomei um banho de deeva absoluta, mas resolvi colocar a camisola e dormir, apenas isso. Nada de festa, nada de social com a família na sala. Dormir de janelas abertas e acordar com o sol nascendo, e uma lua turca no céu.
Rolei pra cá e pra lá, mas não consegui fechar meus olhos novamente. Tava muito lindo!!
Levantei e fiz a saudação ao sol, toda sorridente, cheia dos melhores votos ao dia que iniciava.
Tomei dose dupla do “Elixir de Saúde da Mulherpolvo” e peguei minha magrela pra matar saudades. Ela ficou chocada de estar sendo requisitada depois de um mês inteiro de castigo sem levar ninguém para passear, coitada. Aí começaram os percalços:
O pneu estava murcho e tive que retornar pra encontrar um posto de gasolina.
Nesse retorno, meu MP3 player caiu de dentro da blusa.
Segurei pelo fio, o troço caiu e abriu no meio. Quebrou.
Minha garrafa de água abriu e molhou a mochila, o banco da bike e a minha roupa.
E isso tudo aconteceu em mais ou menos três minutos!!!
Voltei em casa confusa, achando que poderia ser um sinal dos céus para eu não sair de bicicleta.
Mas eu saí assim mesmo.
Não dava pra dispensar a oportunidade de sentir os músculos trabalhando, a respiração ofegante, o coração disparado. Ao invés do habitual óculos violeta, usei um de armação branca e lente azul, o que deixou o céu e o mar com uma cor divina. Chegando na praia me deparei com o mar mansinho. Desisti do passeio e voltei correndo pra casa. A missão: fazer as tarefas domésticas correndo, acordar as crianças e ir à praia.
Não me perguntem como, mas deixei um lombo de porco cozinhando, fiz quibebe, recolhi a roupa do varal, dei café para as meninas e fui, de biquini de oncinha, para a praia.
Muita brincadeira dentro da água com as crianças, a revista d’O Globo, enfim… Não pude demorar, mas valeu à pena.
E eis que surge dentro da cozinha uma Mulherpolvo super bem-humorada, ouvindo samba bem alto no rádio, sambando, cozinhando, arrumando, rebolando, cantando:

“Deixe de lado esse baixo astral
Erga a cabeça enfrente o mal
Que agindo assim será vital para o seu coração
É que em cada experiência se aprende uma lição
Eu já sofri por amar assim
Me dediquei mas foi tudo em vão

Pra que se lamentar
Se em sua vida pode encontrar
Quem te ame com toda força e ardor
Assim sucumbirá a dor (tem que lutar)

Tem que lutar
Não se abater
Só se entregar
A quem te merecer
Não estou dando nem vendendo
Como o ditado diz
O meu conselho é pra te ver feliz”

Em meia hora, mais ou menos, convidei a rainha Mãe e as princesinhas pra um banquete:
Lombo de porco ao molho de mel e gengibre, com compota de laranjinhas kinkan
Quibebe
Salada de chicória, acelga, tomate, pimentões coloridos e cenoura
Salada de macarrão al pesto

Um cochilo, um banho, e o direito (mais que merecido) de ir pro trabalho de carro.
Aí que ficou bom mesmo!!!
Cantei, interpretei, bati palmas, gargalhei. Soltei a franga, cantei alto até a barriga doer.
Se eu tinha alguma mágoa ou angústia dentro de mim, foi s’embora embalada por notas musicais. Cantei por 120 minutos, movimentei todas as energias de prazer, paz, alegria, e amor que tenho dentro de mim, me preparando_a minha maneira_para a semana cheia de emoções que terei. Escrevo do hospital. Passarei a noite trabalhando. Mas e daí? Vou aproveitar muito essas doze horas em meu favor…

Vou colocar aqui parte da playlist da cantoria de hoje.

P.I.L – This is noy a love song
– Rise
Alanis Morrisete – Hand in my pocket
David Bowie – Rock’n roll suicide
Elza Soares – Bafo da onça
– Façamos
– Tem que rebolar
Marisa Monte – Bonde do dom
– Gerânio
– Diariamente
Bachman Turner Overdrive – Hold back the water
– You ain’t seen nothing yet
– Down Down (essa tem uma curisidade: Rebeca canta assim
“dá dá um algodão” ao invés de “down down we all go down”

E é tudo isso aí, boa semana pra vocês. A minha já está ótima!!! Rá!

FRENÉTICA

Para ter real noção do que foi este ùltimo final de semana sem as filhas, leia escutando esa música:

<http://www.pcplanets.com/mp.php?id=2382518

Tudo começou com um plantão daqueles, sem horário de almoço, perdendo quatro(!) ônibus na minha cara depois do trabalho, e uma van com uma senhorita que não queria bagunçar o cabelo, mas não se importou de assar todos os passageiros, a filha de chocadeira.
Cabelíssimo, blusa oncíssima, saia curtíssima, sandália altíssima. E uma casa lindíssima na encosta da praia de itacoatiara.
imgp0691
Sabe aquelas noites que o tempo passa beeeeem devagarzinho? Acho que é sempre assim quando estamos ao lado dos amigos que mais gostamos, tendo bons momentos, dançando…Bem é claro que havia muitos palhaços no local (palhaço tem até no Castelo de Buckingham!!!)
Amanheceu.
Mas que amanhecer!!!! A Maior parte das pessoas que estavam lá pararam tudo por alguns momentos. E também passou devagarzinho.amanhecer em itacoatiara
Bem, saí da festa pra almoçar(!)
aquela dormidinha rápida, como se fosse carnaval (que já tá quase aí…) Para continuar a bagunça na casa de sinhá Tchela. Muito bom, sem dia pra voltar pra casa, sem filho, nem trabalho, nem carro pra entregar à mãe.
Porque não uns momentos assim, que faz a gente lembrar que é gente, e não um robô autômato que só sai pra trabalhar, pra consumir, pra cumprir com horários e obrigações.
VIVA O ÓCIO PROFÍCUO TEMPORÁRIO.

AS VOLTAS QUE A VIDA DÁ

Sempre gostei de roda gigante. Claro que a do Forte Copacabana é a mais linda, que tem o maior vizú, e eu estava em ótima companhia, bebendo champanhe, falando abobrinha, rindo e gargalhando horrores.
Mas naquela hora da roda, subindo e descendo, eu acabei “viajando” um pouco sobre os nossos altos e baixos… As minhas alegrias são como desfile de escola de samba, eu solto faíscas de alegria.
Mas as tristezas (sim!! Elas existem!) Me deixam sem banho e descabelada na cama. Esperar dos outros mais do que podem dar. Esperar dos outros. Não dá, não pode. Tsc tsc… Sempre acaba em decepção.
Aí eu me lembro que sou PODEROSA E LIVRE, MUITO LIVRE. E subo denovo.
Brindemos com champanhe às mulheres libertárias, que pouco a pouco aprendem a desvencilhar-se da terrível armadilha que é esperar o que quer que seja de outrem.

TOCA FOGO NO CÉU!!!

Sky, upload feito originalmente por Daria Angeli.

Fogo no céu, fogo pra arder a placidez mórbida, a normalidade medíocre. Para que contentar-se com um céu azul, azulzinho, se ele na verdade pode ser amarelo, laranja, púrpura e vermelho???
Ontem garantiram minha entrada pro céu.
Mas eu quero o meu colorido e incendiado.