VAMOS CELEBRAR A ESTUPIDEZ HUMANA

Hoje é aniversário do golpe militar de 1964.
O nosso Brasil, vendido aos americanos desde os tempos de Getúlio, precisou acatar mais uma ordem em troca do dinheiro que nos levaria ao “progresso” e nos salvaria do comunismo.
A discussão de idéias e opiniões, sob o prisma da sociedade capitalista ocidental, levaria o país à ruína.
Rever a distribuição de renda, lutar por uma sociedade mais justa, alfabetizar e politizar o operário e o lavrador nos atiraria diretamente ao fogo do inferno.
Tantos morreram, tantos sumiram.
As gerações subsequentes ao golpe foram também grandes vítimas. Mudaram o currículo escolar brasileiro, nos fizeram chamar a professora de tia, sucatearam o ensino público.
Nos ensinaram a obedecer cegamente, sem questionar.
Nos ajudaram a amar e a engolir a cultura americana e a esquecer as mazelas da vida em frente à televisão.
Fizeram de nossa sociedade uma massa mais burra e individualista.
Coloco também neles, a culpa pela transformação em circo do Congresso Nacional e do Senado, uma vez que, durante 20 anos, só permaneceram ali os vendidos, os que diziam “amém” à exploração do povo brasileiro.
Muitos pensam que “naquele tempo” não havia roubalheira, mas é mentira. Roubava-se muito, muito mais.
O desafio de hoje é não só consertar todo o mal que foi feito, mas também lutar pela justiça aos perseguidos e também pelo direito à memória.
Já passou da hora de os arquivos serem abertos à sociedade em geral.
E, mesmo 45 anos depois, é imprescindível o julgamento e penalização dos responsáveis pelas mortes, torturas e desaparecimentos, para considerarmos o Brasil um país um pouco mais democrático.