Mulherpolvo, de Bizet. Em breve no municipal.

Minhas mazelas são uma comédia.

Mas eu as levo a sério, solene como em uma brincadeira de criança.

Mas qual é oseu problema, minha filha??

Ah!! Eu sou tão apaixonada pelo meu marido!!!!!!!!!

Tá vendo? Comédia!!

Me chateio ao ver a estupidez de dar ao outro tanto poder. O poder de me deixar emburrada por dois dias. Ê ê.

E, enquanto eu era a recepcionista que não sorria para ninguém durante as horas de trabalho, um diálogo acontecia no meu lar:

(Entra Puro-Osso com uma planta… Sai e volta com um vinho e uma tabua de queijo)

(minha mãe pergunta:)

“Cês tão fazendo aniversário de casamento?”

“Não, sogra, é limpeza de barra mesmo”

“Hum.Isso explica a vozinha dela ao telefone…. Filho duma #%#@%&$%”

“Que nada, sogra, são apenas pequenos reveses da vida”

Bebi o vinho, comi o queijo e dei pro homem. U-hu.

Fim da ópera. Esse cara sabe desemburrar uma mulher.

Anúncios

Um selo e muito amor!!!

Foi um bom final de semana.
Creio já ter falado sobre o não-resistir, aceitando o que a vida nos traz. Mesmo que pareça chato ou injusto. Antes, eu ficava logo nervosa ou chateada por tudo o que me acontecia. E fui percebendo que vivia chateada por coisas que eu não tinha o poder para modificar, sempre contrariada. E fui serenando, aceitando, adquirindo jogo de cintura.
Com Puro-Osso era assim também: queria que ele fosse o homem que eu sempre sonhei, e esquecia de curtir as qualidades que ele me apresenta, qualidades essas que jamais ousei sonhar em um homem. E lutava e brigava. Hoje, prefiro aceitar os vacilos com mais paciência.
Foi gostoso ver ele tentando se desculpar do vacilo de quinta-feira. Foi lindo brigar “não-brigando”, trocando as acusações e lágrimas pela certeza de que queremos estar juntos, resolvendo as confusões de maneira mais sábia, sem separações de minutos, horas, dias ou meses. Se antes eu lutei para esquecer, agora eu quero mais é lutar para ficar junto. e sabem do melhor? Ele também!!
E foi mais que gostoso estar com ele numa festa bacanérrima, ao lado dos meus mais preciosos amigos, dançando e bebendo e curtindo. E eu olhava para ele dançando charmoso com as amigas… Ai! que delícia!! Esse homem é meu!!
Uma festa na praia, Uma lua crescente enorme, desce alaranjada sobre o mar, cjeio dos reflexos prateados. Foi espetacular.
Beijos, abraços e juras de amor eterno.
Beijos e mais beijos.
Se não tivesse frio, teria mergulhado no mar, teria rolado na areia.
Porque tem horas que não dá para falar “eu te amo”… Eu sinto mais urgência, mais amor e mais tesão que qualquer palavra possa expressar.
Estou profundamente apaixonada.

E ganhei um selinho!! Da Dani, do Ponto Rouge!!

E vou indicar as minhas queridíssimas:

– Lu Cordeiro

– Accácia

– La Picta

– Celamar

-Bebeth

ai, como dói.

Tava demorando. Se há duas semanas atrás eu não conseguia me imaginar brigando com P.O., se não conseguia me lembrar do que exatamente me fazia morrer de raiva dele, minha amnésia teve cura.
O egoísmo, aquele que só um homem consegue praticar.
E o pior é, diante da certeza de que não quero nem pensar em briga e separação, pedir desculpas na hora que eu quero mais é rasgar o verbo, despejando toda a frustração que me vai na alma.
Porque será, ó mel dels, que os namoros e casamentos não são feitos apenas de momentoa felizes??
E se eu fosse lésbica, será que teria de conviver com tanto esgoísmo de uma eventual “esposa”??
E como fazer para acabar com a cara amarrada, voltar aos beijos, carinhos e risinhos? Gente, são quatro anos!! Amo esse magrinho, sei que sou amada. Mas não dá para conviver “na defensiva”. Conversar?
Conversas rapidamente viram troca de acusações.
E o desafio da década é o de não me aborrecer, não me conformar, não brigar.
A vida é feita de “nãos” também. Eu aprendi isso quando era criança. E quem ensina isso aos homens??
E a vontade de mandar um torpedo com palavras de amor… Em seguida um com palavras duras. E a vontade de desligar o celular só para ele me ligar e não conseguir falar comigo?? Não, não adianta, ele não vai ligar. O melhor é se concetrar no trabalho e esquecer esse assunto por algumas horas. Mas como?
Ligar eu não vou, mas o torpedo com palavras carinhosas, talvez ajude. Dizem os neurolinguistas que devemos sempre focar no positivo. Eu amo, não quero saber de briga e nem de cara feia.
Se dependesse de mim e de meu temperamento passional, sairia daqui correndo e iria atrás dele, com o coração na mão. E dava um beijão daqueles, digno de cinema. Para ser mais cinematográfica ainda, pularia de para quedas dentro da loja dele. Que tal?!

ASSIM FAZ MAIS SENTIDO: EU E VOCÊ, JUNTINHOS!

Depois de um dia exaustivo, quente, com seus problemas e bençãos, chega a hora de preparar um jantarzinho caprichado, tomar um banho caprichado, e esperar por Ele. 

A gente come, e chega a tão sonhada hora do ócio absoluto em frente a Tv, com dois ventiladores em cima, a porta bem trancada.  Ervas finas e conversas amenas. O barulhinho da chuva que começa a cair e refrescar, o cheiro da terra molhada. O programa escolhido suga a nossa atenção, até que… Minha bunda esbarra na pele dele, sem querer.  E prosseguimos assistindo, minha cabeça sobre o peito dele, o coração batendo e meu ouvido ali, coladinho, tomando conhecimento de sua humanidade.

Pensando bem, esse documentário nem era tão interessante assim. E o cafuné vai tomando uma conotação mais erótica, a conversa vira um amontoado de sussuros sem sentido, e em poucos instantes os sussurros viram gritos abafados.

Meu amor, minha casa, meu dono.

De repente, é amor.

Falta pouco para completar quatro anos. Essa novela parece que não tem fim, e mesmo quando eu decreto aqui que acabou, duvido que alguém acredite, assim como os amigos do mundo real não acreditam.

Sim, amigos, eu e Puro-Osso estamos tentando novamente… Parece piada? Nem eu, nem ele entendemos. Se muitas vezes o chamo de “minha casa”, outras tantas quero que ele suma e vire pó.  E creio que oposto também seja verdadeiro.

Penso que, se a vida nos coloca frente a frente tantas vezes, se o coração ainda dispara, se geograficamente falando” lugar certo” para mim significa o peito dele…. Volto para casa!!!

E, de volta em volta, vou aprendendo a ser menos egoísta, vou ensinando também outras coisas. Medo? Não sei, não sei. Nem medo, nem coragem. Vontade que o tempo pare nesses dias de paz e de felicidade.

PS: mais uma confissão: ao romper do primeiro minuto de 201o, em voz alta falei “quero um filho homem”. Só percebi o que havia pedido depois de ter pedido… Bem quem sabe, né?!

O mundo gira, mas para sempre no mesmo lugar.

Deve ter sido os passeios de bike, ou os mergulhos no mar, não sei ao certo.

Passei a semana me energizando e aí, o sábado chegou, o telefone tocou e…

Cheguei do plantão e tinha “apenas” trinta minutinhos para me tornar uma diva absoluta.

Escolhi minissaia e uma blusa de alcinhas com aquele símbolo dos Rolling Stones. O cabelo presinho, com os cachos caindo sobre o rosto. Maquiagem discreta e muito, muito gloss. O melhor perfume (hypnose, lancôme). Tamanco com aquela cordinha que a gente amarra no tornozelo. Linda, magra, cheirosa e vestida para matar (de tesão e de orgulho).

Deu tempo. Ele chegou no instante que eu me declarei pronta.

Peraê!!!

Quem é “ele”???

PURO-OSSO, com aquele par de olhos azuis, vestindo a roupa que eu mais adoro, todo cheiroso.

O que a saudade não faz ao ser humano, hein?!

Nada melhor que um bom tempo sem se ver, sem se tocar, sem discutir. Me arrumei pra ele como uma noiva, ele se arrumou pra mim como um noivo. Tudo isso pra ver o jogo de futebol no buteco da esquina…

Não passamos nem meia hora na rua, voltamos correndo pra casa  pra comemorar o dia do sexo (06/09) com umas duas horas de antecedência.

Rapaz… Porque foi que eu desisti dele mesmo?

E foi o sábado, o domingo e a segunda, coladinha, brigando pelo controle remoto, levando comidinhas gostosas para a cama, tocando nossos “greatests hits” no violão, entre miles de outras coisas deliciosas que só mesmo quem já viveu junto por mais de três anos consegue. Não, uma volta de verdade não dá certo. Quantas vezes já tentamos, só neste ano?

Bonito, gente boa, amigo, gostoso (pra caramba)… O que falta, o que faltou? Tesão não foi.

Às vezes penso que vou viver essas idas e vindas com o Puro-Osso eternamente.

De repente eu me canso de ser rebelde e caso com ele denovo. 

Ou quem sabe ele não se cansa de mim e se apaixona por outra? Sempre penso nessa possibilidade, e muitas vezes até torço para que isso aconteça.  Que dia é minha análise mesmo?? Oh! Céus!! Ainda faltam dois dias inteirinhos… Espero me distrair e deixar minhas maluquices prum outro momento…rsrsr

MALANDRO É SÃO BENEDITO…

Quem conhece a música do Paulo Diniz, sabe que malandro mesmo é são Benedito, que é crioulo, mas é santo. (Uma pausa: procurei um link com o vídeo, o som, ou a letra da música, não achei, pois ela foi censurada e o disco de 1970 foi modificado. O que eu tenho aqui, não foi, sorte a nossa).

Mas o que eu queria dizer mesmo, é que a Mulherpolvo é tão maladra como são Benedito…

Arranjei de (re)começar a namorar na antevéspera do dia dos namorados…rsrs

Sabe com quem né? Sim, amicas e amicos, com o único e inigualável… Puro-Osso. E que Deus abençoe a teimosia…

Tudo bom e legal, pena estar chovendo, só isso.