O QUE VOCÊ PREFERE? CÉU OU INFERNO??

Outro dia eu tava falando que muitas vezes me sinto como se estivesse voando no céu errado. Entre tantos tipos diferentes, coço a cabeça e me pergunto: “onde estão os meus iguais?”

Mesmo entre amigas, pegando uma praia despreocupada em dia de semana, calo e escuto. Quero saber quem são estas pessoas, se existe algo em comum além dos laços de carinho e de afeto.

As amigas casadas que passam horas declamando as últimas sacanagens dos seus maridos. Em mais ou menos quatro horas (240 minutos), só queixas, mágoas, sacanagens. Nenhuma falou de um momento feliz e carinhoso, de uma noite de sexo deliciosa, ou de alguma coisa que justifique essas relações que eu, na minha idiota inocência, imaginava ser comum entre duas pessoas que escolhem viver juntas.

Só vejo casais presos em infernos particulares…

Mesmo quando estou com Puro-Osso (estava, né, ato falho?!), eu não vivia assim, me estressando de tudo, achando defeito em tudo. Porque bom mesmo é ser feliz, com ou sem um gatinho por perto.

Ah!! Mas tem gente sem marido que também tá presa em infernos particulares, não é mesmo??

Cara, negozim só reclama!! (pausa para entender que é exatamente assim que eu falo…)

Tá, eu também dou uma reclamadinha, mas não chego aos pés das pessoas que vem tudo negro à frente.  Como disse a Lu, isso acaba com a nossa energia vital. Isso nos faz doentes, revoltados e arrogantes.

E o arrogante é o cara mais ridículo da face da Terra… Quando a gente se enxerga melhor do que é na realidade, de uma casta superior à dos outros mortais, a gente cai num ridículo sem precedentes. Quando a gente esquece que devemos sempre ouvir o outro, por mais penoso que possa parecer. Quando a gente esquece de deixar o tempo fazer a sua parte, e fica tentando atropelar as coisas e as pessoas.

Eu vou escrevendo tudo isso, meio que sem saber onde quero chegar, num simples desabafo, por estar cercada de pessoas assim no meu trabalho, pessoas que eu jamais escolheria para ser meus amigos, mas que a vida colocou ao meu lado para me ensinar alguma coisa.  E me sinto só. A última lourinha alegre, inocente e solidária neste mundo cada vez mais cruel e cinzento.

Mas continuo e continuarei acreditando no amor e no ser humano, na amizade e na solidariedade. Mesmo que seja apenas mais uma fantasia de carnaval.

Anúncios

5 Respostas

  1. EU SOU EU E VOCÊ É VOCÊ. ISTO, É SOLIDÃO. (Clarice Lispector).
    Olha, você realmente só vai encontrar VALOR, na aventura de criar filhos.
    Porque é desafio interno, desafio externo mas vivido e vívido.
    No mais, tá na ilusão.
    E estar na ilusão deve ser opção consciente – daí dá prá brincar de amiga, de amante, de namorada, de funcionária, de tudo.
    Cerque-se do que pode fazer da vida de seus filhos , (filhas não é mesmo?), algo melhor, mais de construção.
    Do resto não cerque-se não – finja.
    (Que palpite infeliz este.Porém, sincero)

  2. Gostei muito do comentário do (a) “b”: acho que somos levados meio sem vontade e sem graça por tantos caminhos que, à hora em que paramos para refletir, gostaríamos tanto de romper com tanta coisa e com tanta gente, não é mesmo?! Construamos mais…! Abração, gostei do desabafo!

  3. Gostei do seu desabafo. Muitas vezes penso como você.
    Será que não existe mais ninguém feliz ?
    Ainda acho melhor estar sozinha do que ao lado de alguém reclamando o tempo todo.
    êta mundinho complicado !
    Mas vamos seguindo em frente pq não nos resta outra alternativa.
    Transmita sua alegria.
    Bom humor acima de tudo.
    Bom carnaval !
    Beijos

  4. Ãhh? Fingir amar, fingir amizade, fingir gostar da vida e das pessoas? A única coisa verdadeira é criar filho? Ai,ai,ai… como a comentarista mesmo disse: palpite infeliz. Primeiro pq o filho é OUTRA pessoa, cresce e vai ter vida própria. Ele não pode ser o objetivo de nossa vida pq, senão, paga um preço enorme no futuro. E nós vamos ter a síndrome do ninho vazio,o que é uma péssima! Segundo: a gente gosta das pessoas,apesar de elas serem diferentes de nós. A não ser os maus-caráteres, o resto é digno de afeto. Concordo com vc, amiga,qdo diz que a maioria dos casais vive num inferno a dois,reclamando de tudo,sempre. É mesmo assim,e sabe pq? Pq não têm coragem de encarar a vida sem o outro. Morrem de medo da liberdade pq ela implica em responsabilidade. Ter coragem de se separar para enfrentar o mundo sozinha não é pra todo mundo. Eu tive essa coragem pq não queria levar uma vida de limbo,preferi o mar revolto,os riscos,a adrenalina de enfrentar o mundo sozinha. É difícil? É! Principalmente pq vivemos num mundo machista e preconceituoso,mas vale a pena. A gente descobre uma força enorme que nem sabíamos ter. E ficamos ótimas qdo notamos que vencemos cada batalha:tudo tem um sabor especial,concorda? Até mesmo a escolha de ficar ou não com um “puro-osso” é NOSSA escolha. Lógico que numa hora estamos no céu e em outra,no inferno,mas isso atesta nossa capacidade de viver e amar. Não há maridos a nos “defender” do mundo. Somos muito mais abençoadas do que as “esposas” por conveniência.Essas estão numa relação simbiótica e artificial. Que ninguém é igual a ninguém,não há dúvida! Mas não é aí que mora o valor? A individualidade nos faz únicos,mas podemos amar os diferentes de nós,a não ser que eles sejam,como eu disse,maus-caráteres. A vida não é um mar de rosas. Ela é uma roseira: tem flores e tem espinhos.Cabe saber se nos fixamos mais nas flores ou nos espinhos.
    Eu sempre te achei uma pessoa ultra feliz e bem resolvida. Vc gosta das pessoas, tem paciência com elas, tem uma visão muito otimista da vida. Isso é cativante para os outros. Agora,não é uma Alice. As Alices já idiotaram e não se deram conta. E as eternamente reclamonas são um porre e arrastam a gente pra baixo. Dessas,menina,fuja ou não preste mta atenção. Tem mta gente bacana no mundo,sim. Aí, vc existe! Eu existo… modéstia… rss. Tenho algumas amigas tb ótimas. Umas,nem tanto: têm a síndrome da mulherzinha à espera do macho salvador… porre! Mas qdo não estào nessa TPM (Tô Procurando Macho), sào legais…hehehe.
    Bjssss,querida!

  5. Bem, pensamos diferentes em diferentes momentos da nossa vida. Mas a única certeza que sempre tive é que iria demorar para encontrar uma cabeça que completasse a minha, e que seríamos felizes e riríamos até daqueles dias entediantes. Até que não demorou. Com os amigos de infância, verdadeiras amigas, não fizeram nada mais do que completar a minha vida, até hoje, abrindo meus olhos, aprendendo juntas, ouvindo as queixas umas das outras; e sempre rindo no final, porque somos pessoas felizes.
    E com as outras pessoas que encontramos no caminho, essas nem sempre vão nos entender , e nem nós a elas. Uma dica: Fuja desses lamentos, porque tem gente que parece ter prazer em sofrer e querer que você sofra junto.
    Acho que me empolguei…rsrs Poderia apenas transcrever essa frase pra você:

    ” Se eu amo o meu semelhante? Sim. Mas onde encontrar o meu semelhante?” (Mário Quintana)

    Boa sorte na vida…
    abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: