LOUCA, EXCÊNTRICA OU APENAS RACIONAL?

Cheguei em casa sexta à noite e fui lavar minhas mágoas com lágrimas e uma boa ajuda de Maya (a chorona da novela). Estava triste e me sentindo miseravelmente só.

Acordei boa, disposta e bem cedinho. Trabalhar bastante é sempre um bom remédio pros meus males.

Praia de Itaipu. Um bar cravado na pedra. E a Mulherpolvo se oferecendo para trabalhar no final de semana, servindo as mesas que ficam na areia. O sol e os banhistas foram aparecendo. Sobe escada, desce escada.

O trabalho não é pra qualquer um, cansa, requer simpatia e muita, muita disposição.

À beira mar lanchas e traineiras. Água límpida. Ao fundo, as praias de Camboinhas, Piratininga, Copacabana, o  Cristo Redentor e o Pão de Açúcar.

Sorriso escancarado, subindo e descendo aquelas escadas, dando um mergulho no mar de vez em quando. A Mulherpolvo não tem medo de trabalho, mas da falta dele.  Ah! Mas o trabalho é humilde… Não tenho vergonha. Se é honesto e não prejudica ninguém, porque não?

Saí da praia à noite, voei para casa, me arrumei bonitinha e… Voltei pra praia de Itaipu, afinal estava acontecendo um encontro de motoqueiros. Atoron motoqueiros!! E mais ainda aquelas Harleys, Intruders, jaquetas de couro e tudo o mais. Shows de (alguma) qualidade, tocando minhas bandas favoritas (Creedence, Bachman Turner Overdrive, Steppenwolf, Lynyrd Skynyrd, Kiss e muitas outras)

Dancei pra chuchu e só voltei pra casa quando os shows acabaram. Sim, sou louca. Dormi um pouco (umas três horas) e voltei pra praia, pra trabalhar denovo.

Não existe palavra que denote o que é a praia de Itaipu num domingo quente e ensolarado. Muito cheia é eufemismo. Tomei o “elixir de saúde da mulherpolvo” e mandei brasa, sem tempo pra mergulhinho, mas sem parar de sorrir e de trabalhar.

Foi quando os problemas começaram.

Minha pressão baixou, pois estava sem comer. A “patroa”começou a encher a minha paciência.

Peguei minha mochila e fui embora, sem receber, sem me despedir, e pasmem! Sem mandar ela pra lugar nenhum!!!

E saí de lá pensando: loucura por loucura, melhor ter trabalhado meio domingo de graça do que continuar aturando perturbação. Precisar ganhar dinheiro extra é uma coisa. Fazer qualquer coisa por dinheiro é outra completamente diferente, né não?

Escrevo do hospital. Minhas pernas doem como jamais haviam doido antes. Devo ter emagrecido… Eu teria termindao meu dia de trabalho numa boa,  sendo bem tratada e alimentada. Não deu certo, uma pena. Uma nova semana começa, com novas aventuras e um bonzeado bonito na pele.

Anúncios

4 Respostas

  1. Você é valente, moça.
    Muito.
    Orgulhe-se da sua força e vontade de viver.
    Boa sorte !
    bj

  2. Pela ordem, vejo assim: racional, um pouco excêntrica, mas louca… não creio.

  3. Caramba! Que jornada!

    Mas assino embaixo: não tenho medo de trabalho, menos ainda de trabalho humilde. Tenho medo é de depender dos outros…Mas também não penso muito se começo a ser maltratada. É tchau! Que trabalho, para quem quer trabalhar, nunca falta…

    Curioso, tb me senti tão sozinha nessa mesma sexta-feira…se morássemos na mesma cidade, poderíamos ter nos encontrado =)

    beijo!

  4. “tomar choque faz bem pro coração”

    …. falo mais nada! kkkkkkkkkkkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: