construir e destruir, mas sempre com noção.

Construir uma vida é um trabalhão. Quem somos, nossas reações, inclinações, talentos.

Mas… E desconstruir isso tudo, para que o novo se instale?

Amigos com os quais não nos identificamos mais,  um trabalho que já não nos desafia, um casamento que não faz sentido. Muitas são as coisas que precisamos destruir antes de dar espaço ao novo.

Primeiro vem o movimento da destruição. E logo depois, a gente vai se percebendo só.

Sair da zona de conforto não é, nunca foi, e jamais será fácil.

Mas vale à pena.

Vou aprendendo aos trancos e barrancos que preciso antes deixar de lado o velho, ou o novo não se instala.

Entre um e outro, o deserto.  Que é chato, mas faz parte do processo.

Olho para trás e vejo como mudei, como cresi e, principalmente, o quanto ainda falta.

Pra que perder tempo em discussões egoísticas?

Quem somos nós pra ensinar alguém a viver? Percebo estupefacta e satisfeita que não tenho mais o topete de bater boca com ninguém, por mais precioso que seja, por razão, ou por perdão, ou pelo que quer que seja. Não gostou? Me acha uma vaca? Uma grossa, favelada*? Direito de cada um, pensar o que quiser.

Perceba antes o que você destá dando ao mundo e às pessoas. Depois, pense bem. Não saia por aí acusando os outros pelas suas mazelas. Pega mal. Dá vergonha.

Um dia me falaram: ” Porque você se julga tão importante a ponto de não poder suportar um grito de um amigo, num momento de muito nervoso?” E antes de qualquer mágoa, com qualquer pessoa, passei a me perguntar: o que eu tenho de tão melhor que os outros para não segurar a onda de um não? Pra que me magoar à toa? Todos tem seus momentos.

* Eu ia falar sobre desconstrução, sobre como estou jogando um monte de coisas fora e me sinto um pouco deserta. Aconteceu de eu precisar falar com uma amiga que é tão nervosinha como eu, que me chamou de “favelada” e decidiu não falar mais comigo. Me magoou, mas… não posso tentar mudar uma opinião baseada em tanto egoísmo idiota e infantil. Que vá com Deus. Eu percebo que amo os meus amigos quando os maiores defeitos deles não me impedem de gostar e de querer perto. Estou de fato muito, muito triste, de ver que esta amiga que diz que me ama não conseguir enxergar que está passando por uma má fase e que ela própria não para de se queixar dos outros e do mundo que a rodeia, sinal claro que o problema é com ela.  Mulheres crescidas tem a obrigação de perceber que, se o mundo todo está errado, o que está errado de fato é o observador.

Prontofaleidesabafei.

Anúncios

5 Respostas

  1. É amiga,
    Tb tem uns meses que quase o mesmo se deu com uma amiga minha de anos…
    Estamos sem falar uma com a outra há pelo menos quatro meses.
    A vida é assim mesmo,sempre nos surpreendendo.
    E Vida é aquilo que acontece enquanto estamos fazendo planos…
    Beijos e força,
    Afrodite

  2. O mundo está errado e eu que o diga1

  3. Para disfarçar as lagrimas que afloram, vou lhe escrever e falar da minha identificação. ..
    com o momento, com a desconstrução….
    estou assim: afastada, isolada, querendo um novo caminho. Sem saber o rumo a seguir, mas com entendimento do que tá ruim e do que não quero na minha vida…
    acho que ainda estou no meio do caminho, mas sei que não tem volta
    suporto a solidão e a impaciencia tentando renascer…

    um grande beijo

    gosto muito dos seus textos

  4. :(.. q coisa hein!! Eu perdi muitas amizades e sabe pq?
    Pq elas me pediam uma opinião sincera e verdadeira e eu dava,rsrs. Pois é estão ai agora pelo mundo batendo cabeça.

  5. viado q babadu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: