MASSA FUNKEIRA, NÃO ME LEVE A MAL!!!

Se o Alvaro Lins fez alguma coisa que prestasse de fato, essa coisa foi restringir os bailes funk.
Pois não é que a própria ALERJ resolveu não só revogar esta lei, como também aprovou um projeto de lei que define o funk como patrimônio cultural e musical de carater popular (os que fazem apologia ao crime ficam de fora). Funkeiro também vota, ora bolas!!
Eu já fui à baile. Nos bons tempos, aqueles que denunciam que já passei dos 30. Eu gostava, e muito. As músicas eram legais, tinha Claudinho e Bochecha, tinha Aquela música do baile do Borel, enfim, não tinha “toma-que-toma”, não tinha “dicumforça”, e não tinha apologia ao crime. Tá, tinha o “rap das armas”, que seria uma “ciranda-cirandinha” comparado às faixas “proibidonas” que tocam lá no camelódromo da Rua Uruguaiana.
Mas apologia ao sexo entre crianças de dez anos não seria crime, afinal?
Como separar o funk “do bem” do funk “do mal”?
Quem quer ver a filha de nove anos cantando “goza na boca, goza na cara” e outras baixarias?
Então tá. Tati Quebra Barraco é manifestação cultural. Só se for da cultura da burrice e da falta de amor próprio.
Em baile de comunidade tem droga, arma e bandido.
Em baile de clube tem briga.
Como fazer com que os bailes funk deixem de ser responsabilidade da PM e passem a ser responsabilidade da Secretaria de Cultura?
Haverá por acaso uma lei que exija bom senso por parte dos MCs??

Anúncios

6 Respostas

  1. Concordo com o que vc disse:funk já foi bom…hj é uma MERDA!!!!
    Só falam de sexo e apalogia as drogas.resta então o que?Rezar pra que os filhos não gostem dessa porcaria!
    Acho que os bailes deveriam continuar proibido,ou então quem será responsabilizado pela baixaria e violência?A PM?hahahaha…faz me rir…

  2. Assino embaixo, baby.

    Adorei seu manifesto a favor do bom senso e da noção no mundo do funk.

    Beijão, fique bem, ando ausente porque tô na maior correria,

    Bela – A Divorciada

  3. gostei do comentário, expôs a questão de maneira direta, sem uma abordagem ilusória ou excessivamente moralista…
    é, o caminho é esse
    paz
    amor
    justiça
    liberdade

  4. O funk somente é um retrato de uma sociedade vazia, sem valores, sem princípios, desprovidade de qualquer respeito de si mesma e das autoridades.
    O que eles fazem é somente o que eles possuem capacidade de fazer, o que pode lhes dar, mesmo que momentaneamente, um prazer nesta vida.
    O que eu desejo não é que este tipo de funk seja proibido, mas sim morra por falta total de interesse, pois isso seria um sinal que a população não quer isso, não precisa disso para ser feliz.

  5. Onde é que eu assino? Achava que ter essa opinião era proibido para quem mora no Rio e que só eu (mineira que sou) pensava assim.
    Beijinho!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: