DEU MOLE, RAPÁ!

Como se eu ainda não houvesse entendido, tomei aquele banho, me arrumei com esmero.
A intenção era apenas me distrair um pouco. Mas por trás dessa, outras intenções, digamos, esquisitas. Faltar à academia, me aborrecer, ceder em coisas que deveriam estar fora de questão antes de algumas cervejas .
e lá fui eu, beber cerveja ejogar conversa fora com os amigos do bairro. Não que os amigos não mereçam, na verdade quem não merece sou eu. A gente combina, na maior animação e quando vai ver… tem sempre aquela fada que não foi convidada, mas que compareceu assim mesmo.
Quem quiser me achar egoísta, sinta-se à vontade!
Quem quiser me achar pedante, vá em frente!
Simplesmente não aturo invasões, nem tampouco pessoas que falam, berram, sem ter a descência de se escutar, de ponderar, e que saem vomitando qualquer coisa que vem à cabeça. Bebi mais que precisava, cheguei mais tarde que o previsto. E não vou guardar na memória essa noite como uma noite especial.
Não consigo mais me inserir no grupo das cigarras. E nem no das formigas. Eu já entendi, mas nos meus primeiros momentos na rua ontem, adorei, nunca mais tinha saído pelo meu bairro quinta à noite, muitos na rua atrás de alento para as próprias dores, e de confirmações para as próprias mentiras. Mas essa Mulherpolvo daqui prefere encarar as dores, exterminar as mentiras. E são tantas mentiras que derrubo, uma por uma, chorando ou sorrindo, procurando a verdadezinha preciosa, aquela que parece um diamante brilhando por trás de tantas máscaras e enganos.
Precisei perder uma noite de sono para lembrar que o velho não me serve mais.

“A vida até parece uma festa
Em certas horas isso é o que nos resta
Não se esquece o preço que ela cobra
As vezes é muito caro…
Em certas horas isso é o que nos sobra

Ficar frágil feito uma criança
Só por medo ou por insegurança
Ficar bem ou mal acompanhado
Não importa se der tudo errado

Às vezes qualquer um
Faz qualquer coisa
Por sexo, drogas e um pouco de diversão
Tudo isso (tudo isso)
Às vezes só aumenta meu irmão
A angústia e a insatisfação

Às vezes qualquer um enche a cabeça de álcool
Atrás de distração, mas eu digo:
Nada disso (nada disso)
Às vezes diminui a dor e a solidão

Inda bem que amanhã tem hospital. Doze horas longe de encrencas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: