“Glamourosa”

Uma paz deliciosa, indescritível.

Uma festa. Uma festa de aniversário. Por se tratar de uma reunião de família, resolvi deixar de castigo a chacrete que mora dentro de mim e usar um modelito mais sério, cobrindo as coxas. Olha, sem falsa modéstia: fiquei linda. Decidi também usar as últimas borrifadas do meu “Hypnose”, depois que senti o cheiro do meu melhor e mais caro perfume numa barbie da Rebeca.  Imaginem só, eu economizando perfume pra uma barbie qualquer usar. E nem era pra sair, ela tava usando pra ficar em casa mesmo, a perua magrela!!!

Mas o que eu não esperava era encontar uma quantidade enorme de gatinhos jovens, sarados e solteiros. Meu primo é solteiro, mas sei lá, eu achei que ia encontrar aquelas velhinhas alemãs e as primas de sempre. Me senti como a Marilyn Monroe em  “os homens preferem as loiras”. Adulada, paquerada, mimada… ao extremo!! u-hú!!

Bebi pouco, me diverti muito, dancei demais e…

Tchan tchan tchantchan…

Fiz as pazes com o sexo casual!!Rá! Sinal de que não estou tãaaaaaaaaaaao velha e careta assim.  Adorei tudo. Principalmente a falta de compromisso. Tenho levado tudo tão à sério que já ia me esquecendo de que podemos, sim, brincar um pouquinho, orabolas!

Disseram que assim tudo fica mais leve.

E nesse final de semana de “Viradão Carioca”, saí de casa no sábado energizada, pra encontrar as miguxas e participar dos eventos programados para a grande massa pobre que não tem grana pra assistir shows no Vivo Rio, na qual eu me incluo.

Dificuldade número 1: A programação da Casa França Brasil estava mais bacana que o baile funk da praça XV. Óbvio!!

Dificuldade número 2: Todas nós queríamos ir pra Rua do Lavradio, pra feira do Rio antigo. (todo 1° sábado do mês). Fomos. Comemos, bebemos, gargalhamos. Bebemos umas 12 cervejas enquanto discutíamos onde espalharíamos nossa poesia: Roda de samba no Arpoador? Sambão em Madureira? ( Esse eu não queria nem fud…) Mart’nalia na praça XV? (esse foi o meu voto)

Maracatu na rua do Mercado, 18 horas. Ao lado da praça XV, é pra lá que eu vou!!!

Muito legal, muito mesmo.

Muito tempo antes de começar a Mart’nalia eu já estava exausta. Pudera: fui dormir seis e tal da manhã, e acordei umas três horas depois.  E na verdade, não gostei muito daquela aglomeração de vendedores de cerveja, de churrasquinho, de cachorro quente, de gudang, de mendigos e do cheiro de xixi. A gente vai envelhecendo e vai ficando metida, né?! Não me divirto mais com qualquer prazer. Entrei numa barca com Julia e voltamos correndo para Niterói, nos escondemos num agradável e silencioso restaurante (coisa de velha, né?!) e ficamos conversando numa boa, sem medo de perder a carteira, os documentos ou a noção.

Eu não esperava que entre tantas opções fôssemos escolher juastamente as de sempre… Do Viradão, só assisti mesmo o maracatu.

É, devo estar velha mesmo.  Velha demais para me deixar levar pelos outros, ou pelo marketing. Velha o suficiente para respeitar meus limites e para escutar direitinho o que quer o meu coração. Mart’nalia, me desculpe. Eu aprecio muito seu trabalho, mas só a verei no palco do Vivo Rio mesmo…

Mulherpolvo. Linda, leve, solta, serena.imgp1120

Domingo de noite.  Um prato cheio de brigadeiro quente. Soy una diva, posso comer metade deste prato e não engordar. Como tranquila.

As crianças, ocupadas desde ontem com compromissos que não me incluiam nem tampouco me alugavam (Oba!!!). Pálida, de pijama de malha. De rabo de cavalo. Cansada de tanto “gramur”, cinderela pede à fada madrinha que amanheça logo a segunda, para poder voltar a ser a gata borralheira sempre.

Anúncios

7 Respostas

  1. …mas é na atitude de “encolha” de gata borralheira, que se faz a Cinderela.
    Sem ansiedade, acontece tudo e de repente.
    Pode acreditar na véia aqui.

  2. Mulher madura e serena é o que há de melhor.
    Atingir a maturidade é muito bom.
    Eu tenho lá meus dias de gostar de aglomeração. Gosto de Escola de Samba e etc e tal….mas realmente show de rua não faz minha cabeça.
    Prefiro mesmo o tal restaurante quietinho.
    Bom início de semana !

  3. Ahhhhhhhhh…. De escola de samba eu também gosto…

  4. AMEI SUA VISITA.
    VOLTE!

  5. A bem da verdade….Essa história de viradão Carioca é intriga da oposição. O CARIOCA não dá viradão nenhum…O CARIOCA é espada….

    Alias…falando em espada….Esse papo de “ficando velha” e “metida”….Essas palavras juntas dão samba de breque!

    []s
    O Carioca

  6. Arrasou!!!! Amei “a chacrete que existe em mim”. Vou copiar, hahaha!!!!

    Beijão,

    Bela

  7. Bela: procure no orkut, se vc tem um, a comunidade “encosto de chacrete”. Você vai rolar de rir com a descrição e com as discussões.

    Carioca: com ou sem samba de breque, sábado eu tava toda metidinha mesmo. Igual às patricinhas quando saem do motel. E se você diz que não dá viradão nenhum e que é espada, só posso acreditar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: