NO DIA DAS MÃES, PAGUEI O PATO.

A minha mãe é uma mulher legal pra chuchu. Eu e minhas filhas moramos na casa dela e ela nunca, jamais, me desautorizou na frente das crianças, ou criticou meu jeito de educar (na frente delas).
Quando ligo minha máquina de flashback, me vem à cabeça uma mulher calma, disciplinada, que acordava às quatro e meia da manhã pra ir de ônibus fazer natação (das seis ás sete da manhã) antes de ir pro trabalho. Fosse inverno ou verão.Que olhava meu dever de casa e me dava total atenção depois do trabalho.
Cresci repetindo quase diariamente que queria ser como ela quando eu crescesse.
E agora, aos 34 anos de idade, me aconteceu uma coisa que deixaria até Kafka de cabelos em pé: Virei a minha mãe!!! E isso muitas vezesé bom, outras tantas, ruim.
Com espanto e uma certa ironia, vou encontrando uma generosidade que nunca esteve comigo antes. Nesses primeiros dias sem empregada, cuidei com carinho das coisas de todos, mas as minhas sandálias estão lá, ao lado do tanque, esperando por um banho faz quinze dias.
Disciplina, generosidade, carinho… Nós, mães, amamos e tão somente amamos.
Existem muitas mães que não valem nada, mas mesmo para elas eu mando um beijão.
Somos todos seres em construção, estamos aqui para aprender a amar o próximo. E a maternidade é um bom começo…
Minhas filhas me deram belos presentes, e cartinhas, e beijinhos e abraços.
Eu juntei minhas últimas forças e fiz um arroz de pato para a minha.
Eu peguei um pato (morto), tirei a pele, separei as partes e coloquei sal, pimenta do reino e vinho branco. Deixei marinar por uns vinte minutos e refoguei com dois paios, na panela de pressão. Coloquei um pouco de água e cozinhei por meia hora mais ou menos.
Depois eu coei aquela água, soltei a carne do pato dos ossos deixando os pedaços meio grandes. Piquei alho, cebola, tomate, cenoura e shitake. Refoguei isso tudo com o arroz lavado, o pato e o paio. Por fim, coloquei a àgua do cozimento mais água quente o suficiente para cozinharo arroz. Depois de pronto, enchi de cebolinha picada.
Ficou uma delícia!!!
Em tempo: durante esse finde eu recebi a visita de número 5.000. Nem preciso dizer como estou prosa e que agradeço de coração a todos vocês que passam por aqui, leem minhas baboseiras e deixam comentários, que eu invariavelmente adoro. Muito obrigada.

Anúncios

2 Respostas

  1. Acho que ser parecida com sua mãe é motivo de orgulho!Ainda mais por tudo que vc descreveu dela,deve ser até mesmo honroso ter se tornado ela!
    parabéns!
    Que delícia saber que seu dia com as meninas foi ótimo!O meu também!!
    Depois se quiser saber mais um pouco de mim(como mãe tb!) olha aqui:
    http://maesemtempointegral.blogspot.com/
    Beijo!

  2. Nossa, amei seu blog. Me identifiquei com seus textos e vou linkar no meu, por que vale a pena e assim eu não perco o caminho de volta. Bjs e sucesso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: