UMA QUESTÃO DE MARRA

Eu nem tava animada pra carnaval.
Tava interessada mesmo em esperar a folia de momoacabar pra começar a fazer meus bolos, mini bolos e etc bolos parafotografar um belo portifólio. Ah!!!! Também estava interessada em Gatchenho, com suas mordidas e eternas polêmicas.
Depois de tudo o que se passou entre sábado e quarta feira, tivemos uma bela trégua na quinta, que não caberia aqui.
Acontece que a sexta raiou, carnaval, quem fica, quem viaja, e quando.
Eu catei minhas sainhas e fui toda toda pra Lapa, começar o carnaval logo e me certificar que estaria com um pé na folia quando gatchenho me ligasse.
E foi o que aconteceu.
Uma friday night ao telefone.
To em Copa. E eu no Leblon. Já te encontro.
To na Fosfobox (fazendo o que, numa boate GLS, em pleno carná?). To na Lapa.
Até as cinco da manhã, quando meu digníssimo Gatchenho foi pra casa e eu pra Santa Teresa, vender cerveja no bloco Ceu na Terra, sem dormir e sem beijar.
Meu querido foi viajar. Ia domingo, ia sábado, não ia. E telefonava, o bichinho.
Desmontei de sono e de paixão, lá na Lagoa, às três da tarde.
ME DECLAREI. SIm, queridos, eu falei mermo, não aguentava mais, e mandei um “escutaqui, caraleo!”
Acabou a bateria do celular, e já não era sem tempo, né não?!
Até eu chegar em casa e colocar o dito cujo na tomada, consegui me acalmar, etc, etc.
Mas ó, que surpresa!!!
Falecido mandou mensagem.
Ah!! mas isso não fica assim, não, senhor!
Enquanto eu ligava pra mandar outro escutaqui pro falecido, chamada em espera.
E não era Gatchenho?
Sim, coração, estou em casa e vou dormir imediatamente, que amanhã o plantão é de 24 horas, e o que me resta nesta vida é trabalhar.
Desliguei a porra toda e fui dormir.
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
Acordei as dez pras cinco. O número de gatchenho te ligou sete septilhões de vezes.
O de falecido, um trilhão.
Enfim, trabalhei pra chuchu e não conseguifalar com a razão do meu afeto antes de ele ir pra gandaia. peço à Deus que ele beije muito, que use camisinha sempre e que não encontre sobre a face da terra mulher mais gostosa que eu. E que volte urrando de saudades.
Tive ainda estômago pra encontar Falecido, ter mais uma conversa definitiva.
Um bom exemplo, este defunto.
Ele foi tão, mas tão marrento, que acabou perdendo. Sente dores de estõmago em cima de uma montanha de marra. E perdeu a chance de viver com a gata que faz dele um homem feliz. (EU, NO CASO).
Como o que não tem remédio remediado está, vou fazer meus plantões de carnaval e muito bolo esta semana. Resolvi, em pleno sábado de carnaval, dar um tempo na birita.
A gente bebe e fala muita abobrinha, e depois ainda tem que passar pela vergonha de dizer que não era nada disso, que estava doidona e etc.
Dia 2 de março chega trazendo o ano de 2009.
Ó: vou malhar. Não tem mais pra onde correr.
Ah! Tem sim… Pra esteira, baranga!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: